No items found.

Palácio Marquês de Abrantes

FICHA TÉCNICA

Nome do Projecto: Palácio Marquês de Abrantes

Estado: Reabilitação, participação

Apoios: Câmara Municipal de Lisboa

Localização: Marvila, Lisboa

Ano de conclusão: 2018

Construção: Mariella Gentile e Jannis Kuhne

Créditos fotográficos: Francisco Nogueira

A reabilitação do edifício do Palácio Marques de Abrantes tem por grande objectivo o seu uso público e comunitário de apoio à população local – em modo de "porta aberta", como identificado e reclamado pela comunidade – a estratégia visava, cumulativamente, promover a qualidade de vida urbana na Rua de Marvila e dos seus moradores. Designado por Entre Linhas, este projecto participado, que ocorreu entre Janeiro e Fevereiro de 2017, deu lugar a duas frentes de intervenção diferenciadas, todavia complementares. Por um lado, ocorreu uma exposição documental (fotografias, plantas, etc.) organizada pelo Centro de Investigação Artística – Hangar e instalada numa pequena parte do Palácio Marquês de Abrantes, situada no seu braço nascente. Esta intervenção contou com a participação de cinco artistas que labutaram sobre as histórias e experiências desta zona oriental de Lisboa, com particular enfoque nas memórias das populações operárias e seus vestígios materiais, por contraste com o estado presente do bairro e, conjuntamente, nas lutas resistentes travadas contra a actual desertificação e isolamento sócio-espacial da comunidade local.

Por outro lado, o projecto Entre Linhas implicou a instalação de um atelier de arquitectura aberto – gabinete de apoio local da Rua de Marvila – promovido pelo ateliermob, dentro do espaço expositivo por si intervencionado, também enquanto ensaio de ocupação e uso futuro deste equipamento. O trabalho foi desenvolvido em dias e em horário úteis, durante o período de abertura ao público, sendo semanalmente apresentado à comunidade. A lógica consistiu em envolver os moradores num processo participado onde se contrastasse as memórias individuais do(s) lugar(es) com as possíveis estratégias e planos colectivos para o futuro. O debate alargado de ideias, que constituiu a base do estudo prévio de arquitectura para a reabilitação do Palácio Marquês de Abrantes. Foi estimulado pela organização regular de mesas redondas que contaram com a participação dos moradores da Rua de Marvila e, também, de aliados desta causa e processo.Para além do caracter lúdico, a iniciativa visava atrair mais e mais moradores locais demostrando assim o potencial agregador do Palácio Marquês de Abrantes através do uso popular.